Estudo da Expansibilidade e da Microestrutura de Escórias de Aciaria LD e EAF

Nome: Marina de Oliveira Polese
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 06/03/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maristela Gomes da Silva Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eliana Zandonade Coorientador
Fernando Lordêllo dos Santos Souza Coorientador
Gláucia da Penha Lima Examinador Interno
Maristela Gomes da Silva Orientador
Moema Lúcia Martins Rebouças Coorientador
Rejane Maria Candiota Tubino Examinador Externo

Resumo: Atualmente, as aplicações dadas às escórias de aciaria não são suficientes para o consumo de grande parte do volume gerado. Além dos estoques acumulados pelas siderúrgicas ao longo do tempo, uma parcela da geração anual é depositada em aterros sem utilização final. Para o desenvolvimento de mercado desse co-produto é fundamental que a sua microestrutura seja estudada, já que a sua constituição interfere
diretamente no seu comportamento em utilização. Para aplicação em base e sub-base de pavimentos, a determinação do potencial de expansão, em conjunto com a caracterização física são necessárias para controle técnico da qualidade e para garantia da durabilidade nas condições de serviço.
Neste estudo, amostras de escória de aciaria LD e EAF, provenientes da região sudeste, são pesquisadas quanto às características microestruturais e físicas e com relação ao potencial de expansão. São utilizadas técnicas de difração de raios-X, análise química e microscopia eletrônica de varredura para identificação qualitativa dos compostos
expansivos e outros que constituem a microestrutura da escória de aciaria.
O potencial de expansão é determinado utilizando o método de ensaio a vapor desenvolvido originariamente na Alemanha e normalizado pelo Comitê Europeu de Normalização (EN 1744-1:98). Os resultados mostram que este ensaio é rápido e eficaz, portanto com algumas vantagens em relação aos ensaios de imersão utilizados no Brasil, EUA e Japão. No entanto, a aceleração das reações químicas por meio do vapor deve
ser estudada a fim de verificar se ocorrem mudanças nos mecanismos de expansão volumétrica dos compostos da escória de aciaria.
Adicionalmente, é realizada a caracterização física das amostras de escória de aciaria utilizando os métodos especificados pelo DNIT. De maneira geral, os resultados favorecem a utilização para camadas de pavimentos, apesar de alguns parâmetros serem diferentes daqueles encontrados para agregados naturais.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910