Concreto Reforçado Com Fibras Poliméricas Submetido a Temperaturas Elevadas

Nome: Dainer Marçal Dias
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 12/03/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Geilma Lima Vieira Coorientador
Georgia Serafim Araújo Examinador Externo
João Luiz Calmon Nogueira da Gama Orientador
Macksuel Soares de Azevedo Examinador Interno

Resumo: Desde os primórdios grandes incêndios assolam a civilização humana. Avanços tecnológicos e edificações cada vez mais compactas podem gerar energia térmica devastadora. Em virtude disso, faz-se necessário estudar os materiais construtivos e propor alternativas. É sabido que incêndios em compartimento apresentam ponto de ignição, fase de crescimento, com ou sem queima generalizada, ponto ápice e decaimento em virtude da falta de material combustível ou do comburente, como é percebido também que ensaios laboratoriais convencionais nem sempre refletem o comportamento de um incêndio real. O objetivo desse trabalho foi analisar o comportamento de um concreto utilizado em obra e do mesmo concreto reforçado com fibras de polipropileno, poliéster, poliamida, aramida e polpa de aramida, antes e depois de serem submetidos a condições severas de incêndio. Para tanto, foram confeccionados corpos de prova com adições de fibras a uma taxa de 2kg/m3. As amostras, além da temperatura ambiente, foram submetidas às temperaturas de 300°C, 500°C e 700°C em mufla, bem como a altas temperaturas através de teste de fogo direto, que foi realizado com apoio logístico e técnico do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo. Ensaios de resistência à compressão axial, resistência à tração na flexão, resistência à tração por compressão diametral, perda de massa e o de velocidade de propagação de ondas ultrassônicas foram posteriormente realizados. Após análise estatística foi observado que as fibras poliméricas podem influenciar significativamente as propriedades do concreto. Ensaios de teste de fogo com carga de incêndio padrão podem ser uma alternativa ou complementar análise de concreto submetido a temperaturas elevadas, já que os ensaios em mufla não representam fielmente as condições encontradas em um incêndio real.

Palavras-chave: Concreto reforçado; fibras poliméricas; altas temperaturas; incêndio; propriedades mecânicas.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910