Comissões internas

Comissão de bolsas

De acordo com a Portaria CAPES nº 52, de 26 de maio de 2000, cada programa de pós-graduação deve instituir uma Comissão de Bolsas, composta de no mínimo três membros: o Coordenador do programa (Presidente da Comissão), um representante do quadro permanente do programa e um do corpo discente. A Comissão de Bolsas cuida da definição de critérios de distribuição, manutenção e redistribuição das bolsas alocadas diretamente ao Programa.

Atualmente, os membros da comissão de bolsa são: Profª Geilma Lima Vieira (presidente da Comissão), da área de Construção Civil, Profª Patrícia Alcântara Cardoso, representante da Área de Transportes, Profª Kátia Vanessa Bicalho e Adenílcia Fernanda Calezani, representantes da Área de Estruturas Prof. João Luiz Calmon Nogueira da Gama, Coordenador da Área de Construção Civil e Vitor Poubel Timm do Carmo, Representante Discente.

Requisitos para Concessão de Bolsa (CAPES, FAPES e outras)
a) O aluno deverá ser Regular.
b) O aluno deverá ter dedicação integral às atividades do Programa (item I, Art 9º, Portaria CAPES nº 76 de 14/04/2010), entendendo-se como tal atividades acadêmicas desenvolvidas nas instalações da UFES (laboratórios, salas de aulas, de estudos, etc) durante expediente diário a ser cumprido em dois períodos entre os da manhã, da tarde, e da noite.
c) Quanto possuir vínculo empregatício (item II, Art 9º, Port 76), poderá receber remuneração, desde que esteja liberado de suas atividades profissionais na empresa/órgão de origem de forma a cumprir a dedicação integral nos termos da letra b) acima.
d) O aluno poderá ser professor permanente ou temporário (itens IV e VII, Art 9º, Port 76), da UFES ou de outra instituição de ensino superior público ou privada, desde que cumpra a dedicação integral nos termos da alínea (b) acima;
e) Não poderá ser reprovado (item III, Art 9º, Port 76), entendendo como tal a obtenção de nota inferior a Seis, ou conceito Insuficiente ou Não-Satisfatório, em nenhuma matéria, disciplina ou atividade (seminário, Exame de Qualificação, Estágio de Docência, Desenvolvimento da Dissertação, etc). Uma única reprovação resultará na imediata suspensão da bolsa.
f) O aluno deverá submeter com seu orientador pelo menos um artigo em revista e publicar um artigo em congresso da área durante os dois anos de bolsa.
g) Deverão ainda ser atendidos todos os demais requisitos constantes no Art 9º da Port 76.

Quanto às Atribuições da Comissão de Bolsa (CAPES, FAPES e outras)
a) Para a seleção dos candidatos (itens II e III, Art 5º, Port 76), a Comissão deverá receber as solicitações de bolsas assinadas pelos alunos e devidamente justificadas e assinadas pelo Orientador do aluno e com a ciência do Coordenador da Área de Concentração.
b) A prioridade em qualquer caso de distribuição de bolsa será sempre para alunos que não possuam remuneração. A partir daí os alunos serão ordenados de acordo com a nota final obtida no processo seletivo. E aqueles com as maiores notas terão prioridade.
c) Para a prorrogação anual da bolsa (Art 10º, Port 76), a Comissão deverá receber a solicitação de prorrogação assinada pelo aluno e devidamente justificada e assinada pelo Orientador do aluno e com a ciência do Coordenador da Área de Concentração, acompanhada pelo Histórico Escolar (notas e conceitos obtidos) e pelo atendimento das demais prescrições constante nos itens e parágrafos do Artigo 10º da Portaria 76.
d) Ficou estabelecido pela Comissão Permanente de Bolsas que os alunos regulares cumprirão o prazo de 24 meses para concluir o mestrado a partir da data da primeira matrícula. Aos alunos regulares que receberem bolsa, a mesma terá sua vigência interrompida quando completados os 24 meses de período de curso e não de 24 meses de período de bolsa.

Critérios e requisitos para distribuição de bolsas definidos pela Comissão de Bolsas:

  1. No primeiro semestre do ano vigente, o critério de distribuição de bolsas deverá atender a ordem de classificação no processo seletivo.

  2. A partir do segundo semestre do ano vigente, o critério de distribuição de bolsas se dará de acordo com a análise do desempenho do aluno, observando a ordem de suplência. A análise do desempenho levará em conta a nota do currículo do aluno, as notas das disciplinas de pós-graduação cursadas no primeiro semestre do ano vigente, do número de publicação em congressos e periódicos, da avaliação de desempenho acadêmico por parte do seu orientador de mestrado.

  3. À medida que as bolsas forem surgindo esses critérios poderão ser ampliados para alunos de anos anteriores que estão em uma ordem de suplência de bolsas dada à disponiblização de bolsas, ficando com ordem de prioridade os alunos que estão em suplência do ano vigente. Após todos os alunos do ano vigente serem contemplados com bolsa, os alunos de anos anteriores poderão ser contemplados desde que atendam aos critérios estabelecidos de acordo com a análise de desempenho, estabelecidos no item 2.

Comissão de para revisão do regimento interno do programa

Esta comissão permanente discute possíveis melhorias no texto do regimento atual, com vistas a melhorar a operacionalidade do programa e permanecer alinhado com as diretrizes da pós-graduação nacional. A comissão é composta por um docente representante de cada área de concentração do programa.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910